Celulares começam a ser proibidos em escolas do Brasil

UNESCO pede urgência no uso adequado da tecnologia na educação

Redação NBE

Redação NBE

09/08/2023
Celulares começam a ser proibidos em escolas do Brasil AdobeStock/NBE

4 min de leitura

O Relatório Mundial da Unesco de Monitoramento da Educação 2023 foi lançado no último dia 26 de julho em evento em Montevidéu, Uruguai, com a recomendação de que as escolas ao redor do mundo optem por banir o celular das salas de aula.

A medida visa combater a interrupção das aulas, evitar a distração, melhorar o desempenho acadêmico dos estudantes e proteger as crianças do cyberbullying.

A Unesco — braço da ONU de educação, ciência e cultura — afirma que há evidências de que o uso excessivo de celulares está relacionado à redução do desempenho escolar que vem sendo constatada nos últimos anos. O relatório adverte que o uso dos aparelhos celulares pode prejudicar a aprendizagem e a concentração e ser uma distração para o aprendizado.

Atualmente ainda poucos países globalmente proíbem o uso de smartphones nas escolas. Na América Latina e no Caribe apenas a Colômbia e a Guatemala têm lei sobre isto. Mas os reflexos do relatório já estão chegando ao Brasil.

No dia 07 de agosto, a prefeitura do Rio de Janeiro publicou um decreto que regulamenta o uso dos aparelhos nas escolas públicas. Agora, os estudantes não poderão utilizar o celular na sala de aula. O aparelho deverá ficar guardado e só poderá ser usado para atividades pedagógicas, com a autorização dos professores.

Também está autorizado o uso dos celulares para os alunos com deficiência ou com problemas de saúde que necessitam destes dispositivos para monitoramento ou algum tipo de auxílio.

O entendimento é de que escola é um local de interação social onde as nossas crianças precisam brincar umas com as outras, precisam interagir e não ficarem isoladas em suas telas de celular e que o uso da tecnologia precisa ser de forma consciente e responsável.

O decreto diz ainda que os pais e responsáveis devem orientar os estudantes sobre o uso adequado de aparelhos tecnológicos e reforçar a importância de não usar o aparelho na escola quando não autorizado. Caso haja descumprimento, os professores poderão advertir os alunos, cercear o uso dos dispositivos eletrônicos em sala de aula e acionar a equipe gestora da unidade escolar.

Recomendações da Unesco

O Relatório de Monitoramento Global da Educação 2023: a Tecnologia na Educação: uma Ferramenta a Serviço de Quem? da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) mostrou que o tempo prolongado de exposição à tela pode afetar de forma negativa o autocontrole e a estabilidade emocional, aumentando a ansiedade e a depressão.

Segundo o relatório, os governos devem, entre outras medidas, adotar e implementar legislação, normas e boas práticas estabelecidas de comum acordo para proteger os direitos humanos, o bem-estar e a segurança online de estudantes e professores, levando em conta o tempo gasto em tela e o tempo de conexão, a privacidade e a proteção de dados; garantir que os dados gerados no curso da aprendizagem digital sejam analisados somente como um bem público; evitar a vigilância de estudantes e professores; proteger-se contra a publicidade comercial em ambientes educacionais; e regulamentar o uso ético da inteligência artificial na educação.

Tendências na Europa

A partir de 1º de janeiro de 2024, a Holanda passa a proibir o uso de celulares, tablets e smartwatches em escolas de ensino fundamental de todo o seu território. A exceção é para aulas específicas de tecnologia e para assistência a estudantes com deficiências.

A principal intenção holandesa é aumentar o aprendizado. “Estudantes precisam se concentrar e devem ter a oportunidade de estudar bem. Celulares são uma perturbação, mostram pesquisas científicas. Precisamos proteger os alunos”, afirmou Robbert Dijkgraaf, ministro da Educação da Holanda, ao anunciar a medida.

Na França a proibição vem desde 2018 através de Lei Federal e foi justificada como uma “medida de desintoxicação” contra a distração nas salas de aula. Na Itália, uma norma do Ministério da Educação proibiu o uso de celulares no ambiente escolar já em 2007. Posteriormente a lei foi abrandada para “uso consciente dos celulares na educação”, mas a proibição foi retomada em dezembro de 2022.

Em Portugal, o movimento foi inverso. O país ainda não detém nenhuma Lei a respeito do tema, mas a sociedade se mobilizou neste ano para organizar uma petição pública que tem recolhido milhares de assinaturas de pais pedindo que o Ministério da Educação proíba os celulares nos recreios, para incentivar que as crianças se socializem cara a cara.

A diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, reconhece que a revolução digital contém um potencial imensurável, mas, considera que os alertas sobre como ela deve ser regulamentada na sociedade devem ser estendidos para o seu uso na educação. “Deve ser usada para melhorar as experiências de aprendizagem e para o bem-estar de alunos e professores, e não em detrimento deles”, adverte, “É preciso colocar as necessidades do corpo discente em primeiro lugar e apoiar o corpo docente. As conexões online não substituem a interação humana.”

Compartilhe

Redação NBE

Redação NBE

Nosso Bem Estar é uma rede de mídias com o propósito de ajudar você a viver bem, de forma natural, saudável e justa.

Também pode te interessar

blog photo

Geriatra orienta para o necessário cuidado especial com idosos

Dicas simples podem ajudar idosos atingidos direta ou indiretamente pelas inundações. Acompanhe

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

Hotéis do Sesc recebem premiação

Os hotéis do Sesc/RS de Gramado e de Torres foram premiados no Travellers Choice 2024,

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

Ratatouille: um delicioso prato de forno que já inspirou até filme

Confira a receita deste ensopado de legumes simples e saboroso, tradicional na culinária francesa

Fernanda Moraes

Fernanda Moraes

simbolo Bem Estar

Receba conteúdos que te inspiram a viver bem

Assine nossa newsletter e ganhe um universo de bem-estar direto no seu e-mail