Os melhores guardiões das florestas

Metade das florestas está sob sua proteção

Redação NBE

Redação NBE

13/02/2023
Os melhores guardiões das florestas Adobe Stock/NBE

2 min de leitura

As taxas de desmatamento na América Latina e no Caribe são significativamente mais baixas em áreas indígenas e de comunidades tradicionais onde os governos reconhecem formalmente os direitos territoriais coletivos.

Melhorar a segurança da posse desses territórios é uma maneira eficiente e econômica de reduzir as emissões de carbono.

Essa é uma das principais elaboradas do relatório “Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais e a Governança Florestal”, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Fundo para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas da América Latina e do Caribe (FILAC) .

A pesquisa também sugere que este papel protetor está cada vez mais em risco, à medida que a Amazônia se aproxima de um ponto de inflexão, o que pode ter efeitos preocupantes nas chuvas e na temperatura e, eventualmente, na produção de alimentos e no clima global.

“Os povos indígenas e comunidades tradicionais, e as florestas em seus territórios, desempenham um papel vital na ação climática global e regional e na luta contra a pobreza, a fome e a desnutrição. Seus territórios contêm cerca de um terço de todo o carbono armazenado nas florestas da América Latina e do Caribe e 14% do carbono armazenado nas florestas tropicais do mundo”, disse o representante regional da FAO, Julio Berdegué.

“Quase metade (45%) das florestas intactas da bacia amazônica é encontrada em territórios indígenas”, disse Myrna Cunningham, presidente da FILAC.

“A evidência de seu papel vital na proteção da floresta é cristalina: enquanto a área de floresta intacta tolera apenas 4,9% entre 2000 e 2016 nas áreas indígenas da região, nas áreas não indígenas refletidas 11,2%. Isso deixa claro por que sua voz e visão devem ser levadas em consideração em todas as iniciativas e estruturas globais relacionadas às mudanças climáticas, biodiversidade e silvicultura, entre muitos outros temas”.

Os melhores resultados foram observados nos territórios de povos indígenas com títulos legais coletivos reconhecidos: entre 2000 e 2012.

O documento afirma a importância de revitalizar culturas e conhecimentos tradicionais, fortalecendo a governança territorial e apoiando organizações de povos indígenas e tradicionais, reconhecendo o papel fundamental da juventude indígena e das mulheres indígenas.

Fonte: CicloVivo

Para entender de forma didática a problemática de desrespeito dos territórios indígenas, acesse [AQUI](http s://www.youtube.com/ watch?v=y_tKDCBimTQ) o tutorial que a Agência Pública elaborou em 2016.

De lá para cá, as perdas de território dos indígenas para o garimpo e o desmatamento foram ainda mais intensificados.

Compartilhe

Redação NBE

Redação NBE

Nosso Bem Estar é uma rede de mídias com o propósito de ajudar você a viver bem, de forma natural, saudável e justa.

Também pode te interessar

blog photo

A solidariedade emociona e salva vidas

Sabemos que as carências dos atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul são de ordens diversas e compartilhamos aqui mais uma série de dicas úteis que podem ser de grande ajuda

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

A solidariedade nos torna mais humanos

O RS precisa de ajuda. Doe o que for possível, materiais, tempo, dinheiro, orações, atenção

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

Abelhas para crianças

Publicação gratuita ensina crianças sobre como cultivar abelhas sem ferrão

Redação NBE

Redação NBE

simbolo Bem Estar

Receba conteúdos que te inspiram a viver bem

Assine nossa newsletter e ganhe um universo de bem-estar direto no seu e-mail