Atitudes ajudam a preservar os oceanos

Muito pode ser feito para evitar a contaminação da água

Redação NBE

Redação NBE

09/03/2022
Atitudes ajudam a preservar os oceanos Beth Watson - Ocean Image Bank

4 min de leitura

Temos muito em comum com a água.

Mais de 70% da superfície do Planeta Terra é composta por água.

Mais de 70% do corpo humano é constituído por água.

A água é fundamental para todas as formas de vidas no Planeta.

A água existente hoje é a mesma desde sempre, já que ela circula num ciclo fechado dentro do mesmo Planeta.

Assim, você pode estar bebendo hoje a água que um dia esteve na barriga dos dinossauros. E, no futuro, beber a água que sai do ralo de sua casa.

Então, quanto mais limpa, melhor, né.

Entre as atuais formas de poluição, uma das mais preocupantes é aquela causada pelos plásticos, seja através de resíduos grandes que acabam formando até ilhas nos oceanos, seja através dos microplásticos que acabam entrando em nossa cadeia alimentar e se depositando em órgãos do corpo.

Organizações ambientais aspiram à criação de um tratado internacional urgente para acabar com a poluição causada pelo plástico, que enfrente todo o seu o ciclo de vida, desde a redução drástica de sua produção, até a gestão do desperdício.

Mas enquanto o mundo “não olha para cima”, como preconiza o filme que concorre ao Oscar, cada um de nós pode ir fazendo a sua parte.

Confira as dicas:

1 – Reduza a poluição hídrica

  • Toda água um dia vai parar no mar. A contaminação de resíduos industriais e domésticos é hoje uma das causas da acidificação dos oceanos. Muitas soluções podem estar à sua mão.
  • Em casa, da torneira ao ralo há muito que pode ser feito para evitar a contaminação da água.
  • Opte por produtos de higiene e limpeza que tenham um padrão ecológico, ou no mínimo biodegradável (veja matéria sobre isto nesta mesma edição).
  • Desenvolva manejos otimizados de uso da água evitando o desperdício e a contaminação.
  • Na pia da cozinha, é fácil utilizar um recipiente com água e sabão para mergulhar a esponja (de preferência vegetal) e lavar toda a louça sem desperdício.
  • Na área de serviço, reserve a água do enxágue da máquina de lavar, pois pode muito bem servir para a próxima maquinada com sabão.
  • No pátio, procure recolher a água da chuva para regar plantas e outros usos.
  • Confira vazamentos e perdas de águas em torneiras e encanamentos. Para ser tratada e tornar-se potável, a água passa por diversos tratamentos que, por si só, também geram resíduos poluentes. Além disto, para abastecer sua população, muitas cidades se obrigam a criar represas que inundam áreas agricultáveis e geram impacto ambiental e social. Então, vale muito poupar água.

Pessoa lavando as mãos e pessoa saindo do oceano

2 - Descarte corretamente seus resíduos

  • Toda boca de lobo vai parar no rio e todo rio chega ao mar. Assim, um pedaço de plástico que você deixar cair em uma cidade no alto da Serra pode um dia sufocar uma tartaruga que facilmente confunde plástico com algas, das quais se alimenta.

    Os oceanos estão cheios de ilhas de plástico com extensão maior do que o território de alguns países.

  • Pelo bem dos oceanos e da vida, é fundamental reduzir o consumo, optar por embalagens retornáveis e destinar devidamente todos os resíduos gerados.

3 - Consumo consciente

  • É chato e dá trabalho, mas é de responsabilidade de cada um avaliar a necessidade real de cada item consumido e conferir a “pegada ecológica” que o produto deixa.

  • Quanto menos natural a fibra se sua roupa, maior o processo industrial requerido e mais poluição gerada.

  • Quanto mais embalagem num alimento, menos reciclável será o resíduo gerado e maior a “pegada hídrica” gerada. Alguns alimentos, mesmo naturais, tem uma “pegada hídrica” muito negativa. Exemplo disso é a pecuária.

    Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, a pecuária é a que faz o uso mais ineficiente dos recursos hídricos. Para produzir 1kg de carne bovina processada são utilizados 15400 litros de água (incluindo a industrialização e a irrigação dos cultivos necessários para produzir ração). São 6 mil litros para produzir 1 kg de carne de porco e 4.300 para produzir 1 kg de carne de galinha. A título de comparação: são 210 litros para 1 kg de tomate, 820 litros para 1 kg de maçã e 1200 litros para 1kg de milho.

  • -Boicote produtos das empresas sem compromisso ambiental.

4 – Exerça sua cidadania.

  • Ao escolher seus representantes políticos, analise o compromisso ambiental e se empenhe em cobrar providências e posicionamentos.
  • Participe e apoie organizações não-governamental para obter mais informações e fazer acontecer.

Para entender melhor, leia também Década dos Oceanos pede urgência

Saiba como os nossos resíduos são prejudiciais, leia “O oceano vai mal”

Compartilhe

Redação NBE

Redação NBE

Nosso Bem Estar é uma rede de mídias com o propósito de ajudar você a viver bem, de forma natural, saudável e justa.

Também pode te interessar

blog photo

Teatro, tênis e bem-estar

Projeto leva esporte, arte e leitura para escola

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

Astrominas 2022 abre inscrições

Cientistas da USP vão ministrar as aulas online

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

Vem aí a Semana da Compostagem Brasil

Iniciativa acontece de 1º a 7 de maio

Redação NBE

Redação NBE

simbolo Bem Estar

Receba conteúdos que te inspiram a viver bem

Assine nossa newsletter e ganhe um universo de bem-estar direto no seu e-mail