Medicina Sem Pressa

Slow Medicine ganha novos adeptos no Brasil

Redação NBE

Redação NBE

17/01/2023
Medicina Sem Pressa    Adobe Stock

3 min de leitura

Na região da cidade Italiana de Turim surgia nos anos 1980 o movimento Slow Food para promover a conscientização sobre a importância do alimento ser Bom, Limpo, Justo e Para Todos.

As bandeiras do Slow Food fizeram escola.

Em 2011, Turim se tornava o berço da Slow Medicine, que rapidamente caiu nas graças de uma parcela de médicos e pacientes.

Desde então, os encontros internacionais sobre o tema vêm disseminando para vários países a ideia de uma nova prática de Medicina.

Em novembro passado, o médico cardiologista e ex Secretário Geral do Slow Medicine na Itália, Marco Bobbio, veio ao Brasil para uma itinerância de palestras.

No Rio Grande do Sul, Marco Bobbio falou para médicos e estudantes da Capital gaúcha, Passo Fundo e Caxias do Sul sobre sua experiência de mais de 40 anos como médico cardiologista e sobre os conceitos da “Medicina Sem Pressa”, nome adotado no Brasil para difundir o movimento.

“Médicos, pacientes e cidadãos começaram a perceber uma Medicina exageradamente governada pela tecnologia e não pelas necessidades do paciente. Uma Medicina que induz a fazer exames e a tomar os medicamentos desnecessários provoca danos. O conceito de slow não significa uma Medicina lenta ou preguiçosa. É uma Medicina cujo método te permite refletir e adotar procedimentos diferentes. E não simplesmente agir porque sempre se fez assim ou porque o protocolo indica”, explica Marco Bobbio.

O médico alerta que não se trata de uma Medicina alternativa, mas da Medicina científica, ocidental, porém ancorada nos pilares de uma Medicina Equilibrada, Respeitosa e Justa para todos.

Na universidade

O conceito vai chegando aos poucos nas universidades.

Na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do RS foi criado um Laboratório de Medicina Slow, onde os estudantes estudam como tratar as doenças sem ser agressivos ou mesmo prepotentes. “É o primeiro e esperamos que surjam outros”, aponta Bobbio, que considera o Brasil como um dos países em que a Slow Medicine está em franco crescimento.

Dois de seus livros foram traduzidos para o português e tiveram grande repercussão. O Doente Imaginado, trata do paciente que é imaginado pela indústria farmacêutica para vender seus produtos e para transformar pacientes em consumidores permanentes. No livro Medicina Demais, Bobbio faz a descrição dos danos provocados por uma medicina exagerada que inclusive provoca gastos inúteis e desperdícios.

A vinda de Marco Bobbio ao Rio Grande do Sul foi promovida pelo Laboratório de Políticas Públicas e Sociais (Lappus), instituição coordenada pelo advogado e ex vereador de Porto Alegre, Marcelo Sgarbossa na foto acima com Marco Bobbio (à esquerda) e sua esposa Lucia. O registro é da nossa editora Vera Mari Damian.

Uma Medicina centrada no paciente

O movimento Slow Medicine propõe a prática de uma Medicina que não fique condicionada ao uso das tecnologias e protocolos padronizados e seja capaz de promover o cuidado, a escuta, o diálogo e decisões compartilhadas com os pacientes. É uma Medicina centrada no paciente.

Está norteada pelo tripé de uma Medicina Equilibrada, Respeitosa e Justa para todos.

Equilibrada porque fará tudo o que for necessário ao paciente, mas sem exagerar.

Respeitosa, porque é atenta para com a dignidade do indivíduo, reconhece seus valores e considera as necessidades e expectativas do doente.

Justa, porque é comprometida em assegurar o melhor cuidado disponível baseado nas melhores evidências científicas.

“Uma medicina para ser justa precisa ser para todos”, observa Marco Bobbio e compara: “no mundo há 10% de pessoas obesas, cuja doença é causada por comida demais. E uma grande parte da população mundial com doenças causadas por falta de comida. Na Medicina é o mesmo: temos os danos causados pela falta de médicos e os danos causados pelo excesso de Medicina. Para ser justa, não pode ser uma Medicina que dê muito a poucos e nada a muitos.”

Compartilhe

Redação NBE

Redação NBE

Nosso Bem Estar é uma rede de mídias com o propósito de ajudar você a viver bem, de forma natural, saudável e justa.

Também pode te interessar

blog photo

Conheça os benefícios do Thetahealing

Técnica terapêutica energética criada há quase trinta anos, o Thetahealing atua identificando e transformando crenças limitantes, além de trabalhar sentimentos e auxiliar na resolução de problemas

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

Receitas práticas para a longevidade

O Nosso Bem recebeu de parceiros boas receitas para uma longevidade saudável e feliz, que compartilhamos aqui com nossos leitores

Redação NBE

Redação NBE

blog photo

O cérebro não sabe a idade que ele tem

Não se assuste com a idade! O cérebro consegue manter a plasticidade e a capacidade de aprender desde que a pessoa tenha otimismo e disciplina para se manter disposta a isso

Redação NBE

Redação NBE

simbolo Bem Estar

Receba conteúdos que te inspiram a viver bem

Assine nossa newsletter e ganhe um universo de bem-estar direto no seu e-mail