Não temos cérebro para funcionar desta forma

Especialista orienta para curar o “cérebro pandêmico”

Redação NBE

Redação NBE

18/11/2022
Não temos cérebro para funcionar desta forma Adobe Stock/NBE

3 min de leitura

Denise Tartarotti Postay*

Paradoxalmente nos tornamos mais conectados com as informações, mas nos desconectamos afetivamente. Inclusive desconectando o nosso olhar do outro.

As crianças e adolescentes que passaram pela pandemia em frente às telas ou que estão sendo filhos de pais superconectados com seus celulares/computadores, não estão mais praticando a qualidade da conexão com o olhar.

A gente vê até mães amamentando seus bebês com o celular na mão, não conectando mais sequer o seu olhar com o de seu bebê, que é o primeiro vínculo essencial para o ser humano ter uma saúde mental: a conexão da mãe com o filho, isto é, segurança básica.

Sempre que o bebê está sendo amamentado, procura o olhar da mãe. Sempre que ele está no colo vai procurar o olhar do adulto para que ele possa fazer o processo de conexão. Para o cérebro de uma criança, além de saúde mental, este processo significa uma estimulação neural. E a criança precisa desta estimulação para realizar o seu desenvolvimento psíquico, físico, emocional.

Mas isso tudo está sendo colocado em risco.

As reversões precisam ser instaladas. Reorientar o olhar para o que é essencial se faz urgente, rever o que ficou disfuncional é preciso. O ser humano só sobreviveu porque fortaleceu vínculos. Somos mamíferos que abraçam, acolhem, se ligam através do corpo, do olhar e da fala. Nunca vivemos antes através de uma conexão virtual. Não temos cérebro para funcionar dessa forma.

A experiência de proteção e de segurança é por contato e não virtual. Essa sensação básica de segurança fica debilitada nas redes sociais. Pertencer a grupos virtuais não nos sustenta afetivamente nem emocionalmente.

Um dos caminhos de volta para a saúde emocional e física é poder estimular vínculos que nos conectam presencialmente, afetivamente.

Tecnologias leves

Apesar desse estado de coisas, estamos numa era da existência em que o acesso a estudos de ponta, através da Neurociência, nos ajuda a entender esses processos.

A Neurociência transversaliza todas as áreas e mostra como o cérebro se comporta quando utilizamos as chamadas “tecnologias leves”, como a meditação, o mindfulness e as práticas de respiração consciente e como elas conseguem alcançar o cérebro primitivo, hoje hiperativado, regulando-o dentro dele mesmo. Porque nada regula o cérebro primitivo. É ele mesmo que se autorregula.

Essas “tecnologias leves” podem ser criadas no dia a dia, em pequenas práticas, como uma forma natural para criar essa autorregulação.

Somos responsáveis ​​pelas novas gerações que estão vindo. Essas crianças, adolescentes e adultos jovens podem e devem aprender, dominar e integrar essa autorregulação para ter qualidade emocional e bem-estar. A melhor forma de ensinar é praticar regularmente. Se você faz, sente e integra em seu dia a dia, naturalmente você estimula e ensina quem está ao seu redor.

Meditação, mindfulness e respiração consciente são recursos sem custo, de fácil acesso que, depois de aprendidos e bem manejados, podem ser usados por todas as pessoas, de todas as profissões, idades e culturas. A atenção plena é uma forma de estar no mundo, pacífica, amorosa e agradável de se viver. Práticas de presença, de contato, de contato do olhar, de estar inteiro consigo e com o outro geram reconexão.

*Denise Tartarotti Postay é psicóloga clínica, especialista em traumas e saúde mental. Trabalhando com consultoria em projetos de promoção de saúde e mudança de cultura nas organizações, é uma das idealizadoras do Programa BIO Saúde Integral, Bem-estar e Qualidade de Vida.

Compartilhe

Redação NBE

Redação NBE

Nosso Bem Estar é uma rede de mídias com o propósito de ajudar você a viver bem, de forma natural, saudável e justa.

Também pode te interessar

blog photo

Feliz Ano Novo Lunar

Mais de 1,5 bilhão de pessoas comemoram em 22 de janeiro

Vera Mari Damian

Vera Mari Damian

blog photo

O futuro passou ontem lá em casa

O ano que vem passou ontem lá em casa e disse que o futuro vai ser melhor.

blog photo

Meditação no presépio

“Aquilo que foi um Presépio era um mundo de contradições"

Redação NBE

Redação NBE

simbolo Bem Estar

Receba conteúdos que te inspiram a viver bem

Assine nossa newsletter e ganhe um universo de bem-estar direto no seu e-mail