Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Família

18/09/2019 08h00

Ofurô para bebês

Apesar de muito difundido nos dias de hoje, este tipo de banho terapêutico ainda desperta muitas dúvidas nos pais e mães dos recém nascidos

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
Design sem nome

Ofurô para bebês

Para as mamães de primeira viagem, os banhos em bebês podem se tornar desafiadores, principalmente quando as crianças são inquietas e sofrem com muitas cólicas.

Para lidar com esse problema, foi criado um método muito curioso em 1997 na Holanda: o uso dos ofurôs ou baldes. Algumas enfermeiras perceberam que quando os bebês, principalmente os recém-nascidos, ficavam submersos por algum tempo na água em temperatura de 36 a 37 graus, eles se tranquilizavam.

Com o tempo, a prática foi se tornando popular e já é, hoje, incentivada por enfermeiras e doulas por todo o Brasil, uma vez que proporciona uma sensação de conforto e tranquilidade para a criança, semelhante ao útero.

Existem benefícios?

De modo geral, funciona assim: submergir o bebê – que deve estar sentado – até o pescoço em água morna entre 36 a 37 graus. A sensação que o bebê recebe de aconchego o ajuda a ligar-se mais à mãe e adaptar-se ao novo meio ambiente em que ele vive, além de reduzir seu nível de estresse, aliviar cólicas e evitar prisões de ventre.

Pela imersão em temperatura relativamente morna, acontece uma vasodilatação e faz com que os nutrientes absorvidos durante a alimentação circulem melhor e cheguem mais rápido ao seu destino, fortalecendo órgãos e tecidos.

Como dar banho no bebê com o ofurô ou balde?

Inicialmente, o recipiente – seja um ofurô propriamente dito ou um balde – deve ser cuidadosamente escolhido, higienizado e utilizado somente para este fim. A temperatura da água deve ser cuidadosamente medida para evitar queimar a pele do bebê. Por mais que seja óbvio, os bebês possuem uma pele muito frágil, por isso, todo o cuidado é pouco.

Essa água deve ocupar apenas 1/3 do lugar onde o bebê ficará. Isso é muito importante porque, quando o bebê entrar, o nível de água vai subir e ele pode correr o risco de se afogar e aumentar seu nível de estresse, tendo o efeito contrário.

Quando o bebê sentar, segure sua cabeça e o banhe com delicadeza. Como a técnica do banho com ofurô funciona mais como algo associado ao relaxamento por ser muito mais demorada do que um banho convencional, defina um horário específico para realiza-la, preferencialmente antes de dormir.

Cuidados especiais      

  • Escolha bem seu ofurô: prefira aqueles com bastante suporte e bordas arredondadas, para evitar acidentes.
  • Escolha bem onde banhará seu bebê: dê preferência a ambientes calmos, fechados e sem correntes de ar. Você pode colocar um pano de chão embaixo do ofurô ou posiciona-lo em lugar antiderrapante.
  • Use um termômetro: como todos temos uma preferência singular sobre o que é quente ou frio, o ideal é ter um termômetro somente para este fim.
  • Não use sabonetes ou shampoos: o banho de ofurô é uma técnica de relaxamento propriamente dita. O cheiro pode incomodar o bebê ou até mesmo irritar nariz, boca e olhos.
  • Embale sempre:  se o bebê for recém-nascido, o embale numa fralda antes de colocá-lo no ofurô. No final, ao retirá-lo, realize o mesmo processo ou opte por mantas mais grossas, em razão do frio.
  • De maneira gradativa: não ponha o bebê no balde de uma só vez. Ponha-o devagar e por partes, começando pelos pezinhos até chegar aos ombros.
  • Atente ao tempo: o banho deve durar em média de 5 a 10 minutos, para evitar a necessidade de esquentar a água mais de uma vez.

Tenha tudo em mãos: antes de banhar o bebê separe suas roupas e deixe toalhas e mantas bem próximas. Se precisar de ajuda, chame outro adulto.

X