Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Saúde Integral

10/09/2019 09h00

Como conviver com a fibromialgia?

Yoga, acupuntura, massagens e outras terapias ajudam bastante

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
Sec set ist 9875 11601(1)

Como conviver com a fibromialgia?

A fibromialgia é uma dor crônica que pode atingir diversas partes do corpo, tais como: ombros, joelhos, região lombar e músculo do trapézio. As mulheres são quem mais sofrem com o problema, representando cerca de 90% dos pacientes.

Estima-se que 3% da população brasileira sofra com essa síndrome, que pode ser bastante incômoda. Sendo assim, é importante ficar por dentro do assunto para entender as causas, os sintomas e as principais formas de tratamento.

Quer saber mais sobre fibromialgia? Então, continue a leitura! 

Sintomas da fibromialgia

A doença pode se manifestar em diversas idades, sendo mais comum entre a faixa etária de 35 a 50 anos. Diferentemente do que acontece em outras enfermidades - cujas causas podem ser genéticas ou devido ao estilo de vida, por exemplo - não há um motivo conhecido para a fibromialgia. Entretanto, acredita-se que traumas físicos, psicológicos, ou alguma infecção podem ser fatores para desencadear o problema.

Outra explicação, de acordo com um estudo de reumatologistas americanos, seria que os portadores dessa condição apresentam uma menor densidade de fibras nervosas na epiderme, o que geraria sensibilidade a um leve toque na pele e dores constantes.

A fibromialgia se caracteriza por dor em vários pontos. Se o incômodo ocorrer em mais de cinco partes do corpo e com frequência de mais de três meses, pode ser um sinal da doença. Outros indicativos são:

  • insônia; 
  • alterações emocionais como: depressão e ansiedade;
  • cansaço;
  • sensibilidade ou vontade constante de urinar;
  • dor de cabeça; 
  • prisão de ventre.

 

Muitas vezes, os sintomas são confundidos com os da artrite, que envolve dores em tendões e articulações, ou, até mesmo, com os indícios de outras doenças. Entretanto, no caso da artrite, ainda há sinais de inflamação. Sendo assim, caso você apresente alguns dos incômodos acima, é importante buscar apoio médico para investigar a situação e realizar o tratamento correto. 

Formas de tratamento

O tratamento deve ser feito com acompanhamento médico, já que, em alguns casos, pode ser necessário o uso de remédios para controle da dor. Além disso, é essencial praticar exercícios físicos regularmente. Atividades de baixo impacto, como caminhada, hidroginástica e yoga são positivas para amenizar a situação.

A yoga costuma trazer resultados satisfatórios para o controle da síndrome, pois o alongamento e as técnicas de respiração e meditação ajudam a amenizar as dores musculares e a controlar a ansiedade. Muitas vezes, a fibromialgia está relacionada com situações de estresse, e cuidar da saúde física e mental é positivo para combatê-la.

Pesquisadores da Universidade York, no Canadá, por exemplo, descobriram que praticar yoga duas vezes por semana ajuda para o controle do nível de cortisol, além de reduzir sintomas físicos e psicológicos da fibromialgia crônica em mulheres.

Outras terapias também são positivas para prevenir crises de dor, tais como acupuntura e massagens. Um estudo do Centro de Saúde Doña Mercedes, em Sevilha, na Espanha, acompanhou um grupo de pacientes que realizava acupuntura como tratamento complementar para a fibromialgia. Foi constatado que a técnica reduziu as queixas de dores em cerca de 40%.

Um tratamento recente, desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas em Óptica de Fotônica (CEPOF), na Universidade de São Paulo de São Carlos, e publicado no Journal of Novel Physiotherapies, em 2018, pode ser mais uma alternativa para lidar com a doença. O processo é feito com aplicação de laser e ultrassom por três minutos na palma das mãos do paciente, o que resulta em ação analgésica e redução da dor.

Os pesquisadores descobriram que a aplicação conjunta do laser e de ultrassom na palma da mão traz resultados mais efetivos do que a aplicação nos pontos de dor. Isso porque pacientes com fibromialgia apresentam maior quantidade de neuroreceptores próximos aos vasos sanguíneos dessa região. O tratamento nesse ponto gera um resultado amplo no corpo. 

Como conviver com a doença

É preciso manter um estilo de vida saudável e seguir algumas práticas para evitar crises de dor.

O acompanhamento médico é uma etapa essencial. Além disso, é preciso fazer exercícios físicos, pois o movimento regular ajuda a combater as dores. Outras atitudes positivas são: evitar carregar pesos; manter uma boa rotina de sono; não ultrapassar os seus limites ao fazer atividades físicas; cuidar da saúde mental e evitar situações de estresse.

A fibromialgia pode ser bastante incômoda, prejudicando a rotina, o sono e o humor de quem sofre com a doença. Por isso, é fundamental se informar sobre o assunto e buscar tratamentos adequados para conviver com o problema da melhor maneira possível, mantendo o bem-estar e a qualidade de vida. 

 

 

 

X