Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Família

20/03/2019 08h00

Redescobrindo Novos Caminhos

A idade chega, e com ela novas possibilidades de desfrutar e aproveitar a vida.

Por Janice Castilhos Vitola e Irani de Lima Argimon

Pixabay
Capa

A idade chega, e com ela novas possibilidades de desfrutar e aproveitar a vida.

Na velhice, com a realidade da aposentadoria, os idosos passam a ter maior parte do seu tempo ocioso, pois não possuem mais a ocupação laboral e os filhos já são adultos. Eis que aí surge uma questão: O que fazer com o tempo livre?

Tem que se levar em conta as possibilidades da cada pessoa no que diz respeito à sua condição física, em função das limitações que a idade impõe, bem como as condições financeiras, tendo em vista a perda do poder aquisitivo que acontece. Mas o mais importante mesmo é a motivação de cada um, pois o desejo de tornar esta etapa da vida mais feliz, e até mais proveitosa, pode fazer com que o idoso supere suas dificuldades. Quando isto está presente, abre-se uma gama de possibilidades para todos os gostos, bolsos e limitações.

MUDANDO O FOCO DA DEDICAÇÃO

Talvez você tenha passado muito tempo de sua vida fazendo coisas por obrigação, tendo que cumprir ordens e horários, com a preocupação de prover o sustento da família. Mesmo que você não tenha exercido atividade lucrativa, a responsabilidade com a criação e educação dos filhos fez com que você, provavelmente, não tenha tido tempo para se dedicar mais a si próprio. Se assim foi a sua vida, pense, então, que agora chegou a hora em que o seu maior compromisso é consigo mesmo e busque fazer com o seu tempo coisas que lhe sejam agradáveis, que lhe deem alegria e prazer. Se quiser sair, passear, dançar, viajar... Saia, divirta-se, mas se ficar em casa com as lides domésticas, ou fazendo crochê, ou cuidando dos netos lhe fizer mais feliz, faça-o. O importante é poder optar, realizar a sua vontade, e que está opção lhe seja prazerosa.

AFINAL, O QUE É LAZER?    

Vamos entender primeiro o que é lazer.

O conceito de lazer (FERRARI, 1997) está relacionado a ocupações que a pessoa pode entregar-se de livre vontade, que pode estar relacionado ao tempo reservado para divertir-se, recrear-se, ou ainda para sua informação ou formação desinteressada, participação social voluntária etc. Entendemos que seriam todas as atividades dissociadas de obrigações profissionais, familiares e sociais e que reúnem as funções de divertimento, descanso, recreação e que possam também contribuir para o desenvolvimento pessoal.

As boas ocupações para lazer devem contribuir para a qualidade de vida do corpo e da mente, favorecendo o desenvolvimento das pessoas como indivíduos e membros da sociedade.

Nara Rodrigues costuma dizer que os idosos têm três grandes ganhos com a idade avançada, que são: tempo, liberdade e experiência de vida. Muitas vezes não nos damos conta que estes ganhos estão dentro de nós e não dependemos de nada externo para poder identificá-los e darmos uma direção diferente na nossa vida.

Existem várias atividades que podem ser incluídas em “lazer”, desde que respondam a alguns aspectos, tais como: é algo que eu terei prazer em fazer? Estas escolhas são condizentes com minhas condições física, cognitivas, financeiras, enfim, estão dentro do possível de serem realizadas?

Respondidas essas questões que têm a ver com meus interesses, com o que quero e com o que eu posso fazer, as escolhas terão mais chance de ter resultados satisfatórios.

MANEIRAS DE APROVEITAR

Verificamos que essas atividades podem ser exercidas em vários contextos e de diversas formas. No âmbito familiar, conversar, assistir televisão, jogar cartas, brincar com os netos, fazer crochê, tricô, ler um livro, fazer palavras cruzadas, cuidar da horta e/ou jardim e até mesmo cozinhar podem proporcionar uma grande satisfação pessoal.

Há uma outra forma de lazer que abrange atividades que exigem habilidade, atenção e comprometimento. Podemos citar, como exemplo, os pintores de final de semana que após a aposentadoria passam a investir muito mais horas nesta atividade. Incluem-se aqui também várias atividades artesanais que atualmente não são mais exclusividades das mulheres.

O interesse pelos estudos e o retorno aos bancos escolares também são exemplos que vem acontecendo atualmente. Idosos que durante a vida tiveram poucas oportunidades de estudar e que agora se veem liberados para voltar aos livros e resgatar o desejo de aprender, sendo alunos muito aplicados e que vibram com cada barreira vencida.

A procura por esse tipo de atividade tem sido cada vez mais frequente, não só relacionada à escolarização fundamental e secundária, com programas oferecidos pelo governo, mas também pelo interesse pela universidade, através dos projetos que as mesmas têm desenvolvido para atrair pessoas deste faixa etária.

Os trabalhos voluntários tem se mostrado uma boa opção na ocupação do tempo, na medida em que representam um exercício de solidariedade e dão ao idoso uma sensação de competência e produtividade.

Número significativo de programas comunitários é formado especificamente por pessoas de mais idade. Executivos que aconselham pequenos negócios, contadores que ajudam a preencher declarações de renda, que fazem a parte contábil de instituições filantrópicas, que visitam idosos debilitados e, como voluntários em instituições, prestam alguns serviços, como corte de cabelo, manicure, corte e costura, leitura, ensinam trabalhos manuais ou simplesmente conversam. Isto se deve principalmente a uma mudança da imagem do idoso e suas capacidades – o reconhecimento de que podem ser membros ativos, saudáveis e contribuintes de uma comunidade.

A possibilidade de desempenhar trabalhos comunitários, como uma fonte de lazer, tem permitido que muitos idosos sintam-se valorizados e exerçam de forma responsável suas vivências anteriores em situações novas. O mais importante neste processo é poder investir em relacionamentos que reforcem este bem-estar.

Para aqueles que curtem uma malhação, desde que devidamente orientados, os parques estão aí para receber os que gostam de caminhar, bem como as academia para a natação, hidromassagem, hidroginástica, alongamento e tentas outras que seu médico liberar, pois exercício é excelente, mas deve ser monitorado.

Não podemos esquecer dos bailes, das festas, mesmo que você não goste de dançar, pode ser prazeroso ouvir musica em companhia de amigos. Cinema e teatro têm programação com horários e preços promocionais para os idosos. Certamente você vai encontrar uma opção que lhe agrade e que seja financeiramente viável.

TURISMO, UMA ÓTIMA OPÇÃO

Um segmento em termos de lazer tem crescido muito ultimamente: é o turismo para a terceira idade. Vai desde o tour pela cidade até a volta ao mundo. Você já pensou em fazer um passeio turístico pela sua cidade? Com certeza há lugares que você nunca parou para contemplar.  As agências promovem pacotes simples de um dia ou um final de semana, na serra ou no litoral, dependendo da estação. Quem sabe não está aí a sua chance de conhecer alguns lugares que sempre desejou ir e ainda não foi. Combinar com um grupo de amigos, ou mesmo se for só, será uma oportunidade de encontrar outras pessoas, fazer novos relacionamentos. É importante procurar alternativas de interação social que não se limite ao convívio familiar.

O importante é que você busque o bem-estar nas suas escolhas, que elas possam permitir um reforço de autoestima, um momento especial do dia, ou da semana, ou mesmo do mês, para que através da sua opção, seja possível estar em sintonia com seus desejos e vontades. Você tem esse direito, portanto, use-o plenamente.

 

X