Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Beleza

14/03/2019 08h00

Um problema que atinge 5% das mulheres

Conheça a TDPM , uma TPM turbinada e aprenda a minimizar os sintomas com métodos alternativos e saudáveis

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
2 (1)

Conheça a TDPM, um problema que atinge 5% das mulheres

Você já ouviu falar em TDPM? A tensão pré-menstrual é bastante conhecida da população, mas esse transtorno é mais intenso e atinge 5% das mulheres em idade fértil. Saiba mais dados sobre o assunto e como tratá-lo de forma simples e eficiente.

O que é TDPM?

Homens e mulheres sofrem com as alterações hormonais causadas pela tensão pré-menstrual, também conhecida pela sigla TPM. Elas se sentem desconfortáveis, irritadas, com inchaço e dor de cabeça. É uma situação bastante comum, que afeta 75% das mulheres férteis, causando oscilações que podem mudar o clima de um ambiente. Que homem nunca teve cuidado ao estar com uma mulher nessa fase?

Porém, a situação pode ser ainda pior se colocarmos uma letra a mais na abreviatura, ou seja, TDPM. A consoante remete a dismórfico, ou melhor, transtorno dismórfico pré-menstrual, quando os sintomas descritos acima são mais intensos. Nesse caso, as alterações hormonais podem prejudicar a vida pessoal e profissional das mulheres. Estima-se que 5% delas sofram com esse distúrbio severo.

Diagnóstico

O diagnóstico de TDPM deve ser feito por consulta com um ginecologista, que analisará os sintomas e solicitará exames, se achar necessário. Porém, para quem quiser minimizar os sinais das alterações hormonais, recomenda-se diminuição ou restrição do consumo de alguns alimentos e produtos, como:

  • Chocolate;
  • Tabaco;
  • Cafeína;
  • Sucos de frutas;
  • Bebidas alcoólicas.

 

Também se acredita que o transtorno dismórfico pré-menstrual esteja associado a deficiências de vitamina B6 e magnésio, mas isso ainda não foi comprovado.

Como tratar TDPM

Além de evitar ou reduzir consideravelmente o consumo dos itens mencionados acima, principalmente no período que antecede à menstruação, podem ser indicadas medidas como medicação com antidepressivos, além de acupuntura e homeopatia.

Como a serotonina, uma substância neurotransmissora, está em baixa durante a TDPM, recomenda-se também o consumo de alimentos que a aumentem, como castanha de caju, amendoim, iogurte, etc. Assim, o sono é regulado, as alterações emocionais, e há um padrão alimentar. Se possível, fazer exercícios físicos e aumentar o consumo de vitamina B6, cálcio e magnésio, pois eles auxiliam a produção de serotonina pelo organismo.

O excesso de sal deve ser evitado durante o transtorno, pois agrava a retenção de líquidos provocada pelo corpo. Alimentos gordurosos e que contenham cafeína também estão restritos para melhora de sintomas, como chá preto, refrigerante de guaraná ou de cola, vinho tinto, etc.

Por outro lado, o consumo de frutas de ação diurética está pra lá de indicado, pois favorecem a liberação dos líquidos retidos. Invista em melancia, melão, abacaxi, morango, etc.

Também é possível ter medidas para controlar o estresse, que piora a TDPM. Recomenda-se atividades como meditação, pilates e alongamento para gerar estabilidade emocional, complementando as atividades físicas já citadas ou como único exercício. Para que os efeitos possam se percebidos, sugere-se pelo menos vinte minutos diários de práticas de relaxamento.

E mais: o estresse também pode ser minimizado com o consumo de alimentos, especialmente aqueles ricos em vitamina C: limão, laranja, kiwi, acerola, goiaba, etc. Eles regulam a ação do cortisol, hormônio liberado quando o emocional está descontrolado.

Para não aumentar o peso

Tanto a TPM quanto a TDPM são situações que provocam aumento da retenção de líquidos e da vontade de comer alimentos ricos em carboidratos e açúcares. Para não aumentar o peso pela ingestão de ingredientes pouco nutritivos e altamente calóricos, da mesma forma minimizando os sintomas do transtorno, recomenda-se o consumo de frutas, verduras, legumes e oleaginosas em lanches, refeições principais e também na forma de chás.

Sugere-se a procura por um nutricionista para elaboração de cardápio nutricional, que favoreça a minimização dos sintomas do transtorno, mas a vontade de comer doces pode ser reduzida com alguns truques:

  • Masque chicletes sem açúcar;
  • Consuma alimentos ricos em triptofano, como maçã, aveia, castanha, banana e grãos;
  • Pratique exercícios;
  • Não tenha doces à vista;
  • Tome um café da manhã caprichado;
  • Modere o consumo de carboidratos;
  • Coma frutas.

 

Você pode consumir doces com moderação durante a TDPM, seu consumo não é proibido. Aposte também na canela, alimento termogênico que fica bem com frutas e sacia sua vontade de doces.  Se não resistir, uma hora de exercício resolve as calorias ingeridas.

X