Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Saúde Integral

08/03/2019 08h00

Você conhece o Método Grez?

Dieta condena o açúcar e estimula uma alimentação rica em gorduras, incluindo manteiga, ovo e até bacon frito. Conversamos com seu criador, o chileno Pedro Grez, que acaba de lançar livro no Brasil!

Por Filipe Marcel

Cleber de Oliveira
 cleberdeoliveira.photo pg 503

Dieta condena o açúcar e estimula uma alimentação rica em gorduras, incluindo manteiga, ovo e até bacon frito.

Pedro Grez vem conseguindo mudar a maneira que as pessoas encaram as suas dietas. A jornada do desenhista industrial chileno teve início quando ele e sua esposa Bárbara, junto com seus dois filhos pequenos, Florencia e Nicolás, se mudaram para o Sul do Chile, em 2011. Ao mesmo tempo em que começava a desenvolver seu negócio, Grez também começou a engordar. Isso o levou a iniciar uma segunda etapa em sua vida, que incluía visitas periódicas a médicos e nutricionistas -em busca de exames e dietas para emagrecer, além de comprimidos e uma infinidade de suplementos alimentares da moda. A rotina confusa o fez chegar aos 110 quilos, cerca de 30 quilos a mais do que o recomendado para a sua estatura. Com os índices de triglicérides altos, a pressão arterial e a glicemia nas nuvens, a melhor opção que lhe passava pela cabeça era apelar para uma cirurgia bariátrica.

Mesmo após dez anos de tentativas, e sem conseguir o resultado desejado, Grez decidiu investigar, por conta própria, o porquê do corpo armazenar o excesso de gordura e o que ele poderia fazer para reverter esse processo. O resultado disso pode ser encontrado no livro “Os Mitos me Deixam Gord@ e Enferm@”, lançado pela primeira vez em 2016. A obra se manteve no primeiro lugar da lista dos livros mais vendidos do Chile, com 44 mil exemplares comercializado em apenas 4 meses. O material acaba de ser traduzido para o português e com ele é possível entender melhor o que existe por trás do famoso “Método Grez”, que, segundo o autor, consiste em manipular a alimentação para conseguir que o corpo elimine o excesso de gordura corporal sem precisar contar calorias, fazer exercícios ou tão pouco passar fome.

Em entrevista exclusiva ao Jornal Bem Estar, Pedro Grez fala sobre as origens do seu método e da recente abertura do Centro Grez, em Santiago, no Chile, onde médicos, nutricionistas e terapeutas atendem centenas de pessoas que, mesmo seguindo as recomendações tradicionais sobre alimentação, não conseguiram eliminar seu excesso de gordura corporal, nem melhorar seus índices de saúde.

Nosso Bem Estar - Como você descreveria esse método que leva o seu nome?

Pedro Grez - O Método Grez é uma manipulação alimentar que permite eliminar o excesso de gordura e melhorar os indicadores de saúde, postergando para a última parte do dia aqueles alimentos que se transformam em glicose uma vez digeridos: açúcar, assim como os carboidratos como: amido, pão, arroz, massas, batatas e as frutas. Já que somos todos diferentes, devemos descobrir a quantidade e a frequência com a qual podemos incluir esses alimentos no nosso dia a dia. Têm pessoas que podem consumi-los diariamente no jantar. Quanto mais excesso de gordura corporal ou piores indicadores de saúde uma pessoa tenha, mais tempo esses alimentos são adiados. Juntando isso à explicação anterior, o “Método Grez” aconselha consumir os alimentos em um intervalo de 6 a 8 horas para que, durante o tempo restante, o corpo possa usar o combustível que ele tem armazenado em forma de gordura corporal.

NBE - Toda a sua família hoje é adepta do método Grez?

PG - Sim. Depois de fazer dietas “oficiais” e “não oficiais” durante uns dez anos, a única coisa que consegui foi ficar cada vez mais gordo e doente. Quando comecei com esse estilo de vida, minha mulher percebeu que eu estava eliminando meu excesso de gordura corporal e melhorando meus indicadores de saúde, sem o efeito “sanfona”. Dois anos depois, ela começou a se alimentar da mesma maneira. Quando ela começou, nossos filhos, na época com 12 e 15 anos, também adotaram o método.

NBE - Podemos dizer que ele serve para qualquer pessoa, de qualquer faixa etária?

PG - Claro. No Método Grez, como na dieta mediterrânea, que é considerada a dieta mais saudável do mundo, você pode consumir todos os tipos de carne, peixes, frutos do mar, legumes e saladas. São adiados os grãos, tubérculos e frutas, dependendo da meta de cada um. Minha família come grãos, tubérculos e frutas no jantar. Meu sogro, por exemplo, reverteu o diabetes tipo 2 aos 92 anos de idade. Seu médico suspendeu todos os remédios quando viu os resultados dos exames. O sangue não mente.

NBE - Qual é, na sua opinião, o maior vilão do prato?

PG - O maior vilão do prato são aqueles alimentos que, uma vez digeridos, se transformam em glicose, ou seja, açúcar. Os grãos na forma de farinha, pão, massas, leguminosas como batatas, e frutas. Já livres de qualquer culpa estão as gorduras, especialmente as saturadas, que estão na manteiga, no toucinho, nos ovos, no creme de leite. Elas foram perseguidas, injustamente, durante os últimos 40 anos.

NBE – Seguindo isso, qualquer pessoa consegue reduzir seu peso?  

PG - Você não quer perder peso. Se você perder um quilo de gordura corporal e subir um quilo de massa muscular, seu peso continua o mesmo, mas seu manequim será menor. Então, diminuir o peso não é a meta. O foco está na roupa que deve ficar cada vez mais folgada. Se você segue o Método Grez e faz musculação com halteres, você vai subir de peso, mas simultaneamente você vai diminuir seu número de manequim, a roupa ficará mais folgada e seu corpo estará mais tonificado. Essa deve ser a meta: o manequim, e não o peso.

NBE – É isso que você decidiu mostrar para as pessoas?

PG - O que eu estou compartilhando no meu livro é a minha experiência pessoal. Dois anos depois do lançamento, milhares de pessoas eliminaram seu excesso de gordura corporal e, o que é mais importante, melhoraram seus valores de saúde como glicose, pressão arterial, triglicérides, HDL, Hemoglobina Glicada, entre outros. O sangue não mente. Dito isto, as associações de diabetes dos Estados Unidos e da Europa acabam de aprovar a dieta baixa em carboidratos com amido e alta em gorduras para o tratamento do diabetes tipo 2. Além disso, o Método Grez é uma versão mais flexível das chamadas dietas “low-carb”.

NBE - Qual foi a maior dificuldade que você encontrou para conseguir perder tantos quilos em tão pouco tempo?

PG - Para dizer a verdade, foi a roupa. Tive que comprar roupa nova. O problema das dietas baixas em calorias é que você passa fome e um dos comentários mais frequentes de nossos seguidores é que, com o Método Grez, não se sente fome.

NBE - Como é a sua alimentação diária? Café, almoço, jantar…

PG - No meu método, a relação com a comida é como se estivesse no buffet de um restaurante ou de um hotel. Todos os alimentos estão disponíveis para que cada um, dependendo do seu objetivo, decida o que comer. Já que todos nós somos diferentes e temos objetivos diferentes, a escolha do que comemos ou não comemos é muito pessoal. Minha filha tem 20 anos, é magra e come quatro ovos no café da manhã, pois tem aula de teatro até às quatro da tarde. Minha mulher come dois ovos com toucinho no café da manhã. Meu filho, que está em um programa de musculação, come até seis ovos com toucinho de uma vez só. No meu caso, depende do dia, se tomo ou não café da manhã. Uma das bases do Método Grez é atrasar ao máximo a ingestão de alimentos que se transformam em açúcar como o pão, os biscoitos, bolos, cereais e frutas. Quando esses alimentos são consumidos, se tornam o combustível de nosso organismo, no lugar da gordura corporal. Por isso, devemos priorizar as carnes, os peixes, frutos do mar, ovos, toucinho, manteiga, creme de leite, algumas nozes, legumes e saladas para o café da manhã e almoço. Logo de tarde, no jantar, você pode incorporar alimentos como grãos, tubérculos e frutas. Quanto e quantas vezes? Isso depende da meta de cada um. Cada pessoa deve descobrir.

NBE – De qual maneira as emoções influenciam nessa forma de alimentação?

PG - Esse é um tema muito importante que pode ser analisado a partir de dois pontos de vista. O primeiro é: por que estou comendo? Ou seja, podemos comer para satisfazer a função biológica que é nos alimentar. Sendo assim, deveríamos comer somente ao sentir fome. Mas cuidado! Ter o estômago vazio não significa estar com fome. Podemos estar comendo para compensar uma carência emocional. Como fomos programados desde nossa infância pelos nossos pais e avós através da alimentação, sendo um instrumento de reconhecimento, especialmente, no caso de doces, chocolates etc., agora, quando sentimos falta de afeto, de amor, provavelmente, consumimos um desses produtos para nos “premiar”. Existe também uma ligação concreta entre a falta de uma vida sexual e o chocolate. Além disso, até que ponto existe uma emoção ou crença que não me deixa eliminar o excesso de gordura corporal? Mulheres que sofreram abuso sexual podem querer se proteger ou esconder por trás de sua gordura corporal para não se tornarem atraentes para os homens. Um homem inseguro armazena gordura corporal para ter a aparência de um osso grande e assim, inspirar respeito. Se a mudança no estilo de vida não produz os resultados esperados é o momento de investigar quais poderiam ser as crenças que estão impedindo a eliminação do excesso de gordura corporal.

NBE - Quais são os pilares para termos uma boa qualidade de vida?

PG - Alimentação, água, sono, evitar o estresse, sol, exercício. Nessa ordem! 70% da nossa composição corporal depende do que comemos, e não se a gente se mexe muito ou não. A água é importantíssima para movimentar o excesso de gordura corporal. No entanto, se você se alimenta bem, toma uma quantidade de água recomendada, mas não dorme o suficiente ou está com estresse permanente, então você não vai ver os resultados esperados. O sol, a Vitamina D, também é fundamental. E se você for fazer exercícios, priorize aqueles que usam o peso do próprio corpo, com halteres ou máquinas. Você precisa subir de peso, mas o peso correto. A massa muscular é o motor de seu metabolismo. A obesidade leva ao sedentarismo, e não o contrário. Quanto mais gorda seja uma pessoa, menos ela vai se mexer. Uma pessoa plus size que carrega 50 quilos de gordura corporal leva os halteres da academia sobre as costas. Quando as pessoas eliminam o seu excesso de gordura corporal, naturalmente elas começam a se mover mais e começam a fazer mais exercícios.

NBE - O que você acha dessas dietas que enfatizam um consumo diário de alimentos diferentes do que, até então, conhecíamos como ideal pela pirâmide alimentar?

PG - As pirâmides alimentares são uma proposta perfeita para a alimentação equilibrada no caso de pessoas que estão com seu número de manequim ideal. Ou seja, que tenham uma porcentagem de gordura normal e seus indicadores de saúde são normais. Mas, qual é a porcentagem da população do Brasil que está com esses valores normais? No Chile, mais de 74% da população apresenta excesso de gordura corporal, usa modelos plus size, é obesa. Ao fornecer uma dieta equilibrada para uma pessoa que está desequilibrada, você só conseguirá manter o desequilíbrio. É preciso desequilibrar a alimentação, e isso significa adiar aqueles alimentos que se transformam em açúcar ao comê-los, para dar ao corpo a oportunidade de usar como combustível o excesso de gordura corporal armazenada.

NBE – O que diria para aqueles que estão seguindo a pirâmide em sua dieta?

PG - Uma vez que você tenha chegado ao seu manequim ideal, e não ao seu peso ideal, o que é bem diferente, e apresente indicadores de saúde normais, você pode comer segundo a pirâmide alimentar e ir observando seu corpo. Continua perdendo gordura corporal? Você mantém seu manequim e os valores de saúde continuam normais? Está aumentando seu número de manequim, a gordura corporal e seus indicadores estão alterados? Depois de observar esses fatores, você pode decidir se a pirâmide é adequada para você ou não.

NBE - Tem algum alimento que você tenha descoberto recentemente, que mais chama a sua atenção?

PG - A própria gordura corporal. É um alimento fantástico! No entanto, não lhe damos uma oportunidade. Há milhões de anos que estamos desenhados para deixar de respirar por 3 minutos, não tomar água por 10 dias e ficar 6 semanas sem comer, antes de morrer. Geneticamente, estamos “construídos” para usar a gordura corporal como fonte de energia e com as recomendações de comer a cada duas ou três horas, bloqueando essa vantagem metabólica. Nunca, na história da humanidade, comíamos de duas em duas ou de três em três horas. Certamente, comíamos a cada dois ou três dias, se não a cada segunda ou terceira semana.

NBE – Como você enxerga esse aumento de cirurgias bariátricas para tentar reduzir o peso drasticamente?

PG - Quase fiz uma cirurgia bariátrica, aliás, ela segue sendo vendida como a solução para diversos casos, inclusive diabetes. Só que aqueles que a vendem não falam dos 70% de pessoas que cortam o estômago e logo voltam a pesar o mesmo ou até mais do que antes da operação. A cirurgia bariátrica não é a solução.

NBE - Fale um pouco sobre a chegada do seu livro ao Brasil. Como espera que ele seja recebido pelos brasileiros, criados na maioria dos casos a arroz com feijão?

PG - Em relação ao “arroz, feijão, farofa e fruta”, bem! Se você está com seu número de manequim adequado e seus indicadores de saúde normais, então continue fazendo o que está fazendo, mesmo que seja o contrário do que proponho no Método Grez. Mas se você tiver excesso de gordura corporal e seus valores de saúde como a Hemoglobina Glicada HbA1c estiver acima de 5%, está na hora de você começar a controlar o consumo desses alimentos se não quiser terminar seus últimos dias de vida com diabetes. E o diabetes significa cataratas, glaucoma, cegueira, dedos dos pés cortados ou, até mesmo, o pé completo, impotência no caso dos homens, e danos renais que te levam à diálise. Os diabéticos são mais propensos a sofrerem ataques cardíacos, derrames cerebrais e outras doenças cardiovasculares. O diabetes é uma doença doce e silenciosa que demora anos para se manifestar. Por isso, o quanto antes começarmos a observar o sangue e realizar mudanças no nosso estilo de vida, melhor. Quanto mais tarde você começa com as mudanças, mais difícil será conseguir resultados efetivos.

NBE - Como o Centro Grez tem atuado no Chile?

PG - Quando lancei meu livro “Os Mitos me Deixam Gord@ e Enferm@” no Chile. Por conta disso, eu aparecia muito na imprensa, principalmente TV e rádio, e recebi muitas críticas da indústria. Dois anos depois, graças ao visionário Dr. Pedro Vidal, pioneiro da cirurgia plástica no Chile e, atualmente um dos melhores cirurgiões, se não o melhor, do nosso país, tive a oportunidade de instalar o Centro Grez em sua clínica, onde estamos atendendo com médicos e nutricionistas atualizados. Cada dia chegam mais pessoas que estão cansadas por terem experimentado tudo sem obter resultados. Se você quer ver resultados e ter uma vida mais saudável, você devia ir, primeiramente, ao Centro Grez.

NBE - Gostaria de deixar uma mensagem aos leitores do Jornal Nosso Bem Estar, principalmente para aqueles que buscam uma qualidade de vida melhor?

PG - Quero convidar os leitores que tenham feito uma dieta atrás de outra, durante anos, que estão cansados de ficar com fome, ou aqueles que já não querem tomar, cada vez mais, remédios para a resistência à insulina, o diabetes 2, pressão arterial, colesterol e triglicérides a experimentar o Método Grez por um dia. Se depois desse dia se sentirem diferentes, experimentem mais um dia. E assim, dia após dia, observem e sintam como seu corpo começa a se recuperar, como a inflamação do abdômen vai diminuindo, como a roupa fica cada vez mais folgada. Mas cuidado! Essa não é uma dieta com a qual você perde dez quilos em dez dias e sobe 15 nos 15 dias seguintes. Vocês não podem querer eliminar em “dias” ou “semanas” o excesso de gordura corporal que levaram anos para armazenar. Por isso, este é um estilo de vida para toda a vida e, de acordo com o que você  vai seguindo, obterá os resultados.

O livro já está disponível na Amazon: https://amzn.to/2BzY9f0

X