Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Crescimento pessoal

09/10/2018 09h30

Yoga Sampo

A Prática de Proteção dos Mestres

Por André Dornelles Pares

Pixabay
Sampo 2

Em passagem pelo Rio Grande do Sul, para uma série de cursos e palestras, Mestre Oyun introduz a explicação sobre o Yoga Sampo retomando a ideia de forças opostas.

‘Você diria que tem sempre uma autoconfiança inabalável? ’ É através dessa reflexão que o Yoga Sampo foi introduzido pelo Mestre Oyun. Difundida, praticada e ensinada pelo mestre russo, a técnica oferece uma proteção energética por meio de uma limpeza mental contra influências negativas. É um sistema milenar, usado na proteção de antigos samurais e monges.

Em passagem pelo Rio Grande do Sul, para uma série de cursos e palestras, Mestre Oyun introduz a explicação sobre o Yoga Sampo retomando a ideia de forças opostas. No universo, e dentro de nós – em nossas mentes e corações – há um conflito entre forças positivas e negativas. No entanto, há também uma força de proteção. O Yoga Sampo permite fazer o contato com essas forças protetivas.

Oyun conta que depois que aprendeu a se conectar com as fontes dessas forças, iniciou sua trajetória de peregrinação. A conexão se deu na primeira vez em que encontrou seu mestre. Antes disso, porém, já havia iniciado sua busca. Desde sempre, sentiu-se conectado com a Natureza. Nasceu próximo a Moscou, mudou-se para o norte do país, onde os pais foram à procura de trabalho. Viveu uma vida muito simples na infância, acostumando-se, naturalmente, com a proximidade da natureza – o que diz agradecer muito.

Na adolescência, essa busca em conectar-se com algo se traduziu no gosto pela prática de exercícios físicos, especialmente, lutas. Por meio delas, podia exercitar a concentração e extirpar certa raiva que sentia da situação política da União Soviética, na década de 1980. Foi nesse momento que o desejo de realizar algo a mais na vida ficou mais forte. A sensação desse conflito interno viabilizou possibilidades de buscar aprendizados para conectar forças – lembra.

Aos 18 anos, foi viver em meio à natureza, entre o Japão e a Coreia. Sempre gostou de estar sozinho, como uma forma de escutar sua verdade interior. E, nunca teve problemas com a solidão: “acredito que natureza e os amigos são dados por Deus”. Nessa época, contudo, encontrou uma comunidade de curandeiros, que só um ano depois viria a saber serem ex-presidiários que haviam se organizado em uma área isolada na mata para produzir– e curar! Usando mel. Na convivência com eles, teve muitos aprendizados.

A perda do caminho

Passada essa etapa de aprendizagens, retornou para a região central da Rússia. Com o capitalismo já instalado como regime oficial na antiga URSS, arranjou trabalho, ganhou dinheiro, adquiriu posses e, adoeceu: “Comecei a sentir algo estranho internamente. Por dinheiro, esqueci o caminho”. Perdeu peso rapidamente (mais de 30 quilos) e forças. Mais tarde, descobriu que se tratava de um câncer no sangue.

Vendeu tudo o que tinha, afinal, o tratamento era muito caro. Além disso, voltou a rezar e meditar. O que não esperava era que, dentro da clínica na qual fazia os exames e o tratamento médico, seria tratado através da psicologia espiritual. O dono do centro médico começou a ajudá-lo sem Oyun saber: praticava terapias como Reiki e Acupuntura. “Um dia, despertei e senti que algo nasceu dentro de mim”.

Porém, o corpo ainda padecia. Mesmo com previsão de poucos meses de vida, sentia que algo havia mudado dentro de sua cabeça. Foi encaminhado a uma médica russa-chinesa que lhe aplicou Reflexologia por um tempo, voltou à clínica, e, passou a trabalhar levemente. Podia alimentar-se somente de suco de batata e líquido de arroz cozido – do qual não sente saudade!

O encontro com o Mestre

Com um pouco da força recuperada, retomou as viagens e passou a fazer rituais em igrejas, como consequência de um despertar interno. “Em uma dessas jornadas, no sul da Rússia, recebi um folder que falava de um seminário”. Ao meditar, no quarto, algo estranho ocorreu: “com tudo fechado, foi como se um vento entrasse, e o folder voou até meu colo! ”.

Mestre Oyun passou a ir aos seminários referentes ao folder. Começou, então, a compreender que esse era seu caminho. Lá, entre vários mestres que conheceu, encontrou o seu, e aprendeu a técnica Yoga Sampo. Suas viagens pelo mundo - como mestre - começaram pelo Tibet, onde passou a ser tutor de pessoas que participavam dos seminários. Hoje, Mestre Oyun é uma das doze pessoas no mundo iniciadas no método Indo-Tibetano de Restabelecimento da Saúde. Atualmente, trabalha com diversas pessoas em 35 países, através, de Encontros, Vivências, Palestras, Congressos e Simpósios.

Cuidando permanentemente do corpo, Oyun lembra que para o trabalho com Yoga Sampo o corpo físico é fundamento básico e a prática deve ser diária. “Assim, você poderá eliminar quaisquer obstáculos e problemas, controlando seu futuro e ajudando a si e aos demais”. Sobretudo, será possível se conectar com a consciência espiritual interior: que é a verdade do coração.

Para saber mais:
www.forceoflight.net

André Dornelles Pares é Jornalista (MTB 17343/RS)

X