Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Saúde Integral

21/08/2018 09h30

Os perigos do sarampo

Até pouco tempo atrás esquecido, o sarampo voltou a ser pauta de discussões por causa do surto em algumas regiões do país.

Por Nosso Bem Estar

Pxhere | Pixabay
100097798meales fbc5382782951b9107b64dc55ce11682 1200x600

É um quadro muito semelhante ao resfriado, mas, o que o difere é o sinal que vem logo em seguida: o aparecimento de manchas.

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa causada pelo vírus Morbilivírus. Em países subdesenvolvidos, é uma das principais causas de mortalidade infantil.

Embora o Brasil tenha “erradicado” o sarampo em 2016 e recebido nesse mesmo ano o certificado de eliminação da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), 677 casos foram confirmados nesse ano de 2018, com foco em Roraima e Amazonas.

Sinais e Sintomas

Inicialmente, o doente pode apresentar febre, tosse persistente, irritação ocular, coriza, congestão nasal e mal-estar intenso. É um quadro muito semelhante ao resfriado, mas, o que o difere é o sinal que vem logo em seguida: o aparecimento de manchas.

Essas manchas geralmente são avermelhadas e podem acometer o corpo inteiro, com duração mínima de três dias. Também não é incomum que manifestações bucais apareçam em forma de úlceras muito dolorosas por toda a mucosa bucal.

Por mais que os sinais e sintomas não apresentem tanta seriedade, a doença é grave, acomete o sistema nervoso central e serve de porta de entrada para diversas outras infecções secundárias de origem viral – como a pneumonia, por exemplo – ou fúngica – no caso da cândida oportunista – podendo levar o paciente à óbito.

Esses sinais e sintomas podem se tornar mais intensos ou atingirem com mais força pacientes desnutridos, com sistema imune debilitado ou em formação (incluindo aqui recém-nascidos e pacientes com alguma imunodeficiência), gestantes e idosos.

Como se transmite?

A transmissão acontece de pessoa a pessoa através do compartilhamento de fluidos ou exposição a eles. Tosse, espirros ou mesmo a fala e a respiração podem servir como meio de contágio.

Partículas virais deixadas no ambiente também são capazes de transmitir a doença, principalmente em lugares fechados como escolas ou clínicas médicas e hospitais.

A importância da vacina

A importância é clara: o sarampo é uma doença séria, que não possui tratamento, e que precisa ser prevenida com a imunização, já que o virus pode permanecer ativo em ambientes fechados e circula pelo ar.  Os medicamentos apenas aliviam os sintomas, já que – em tese – os efeitos passam com o tempo, como a gripe.

Então, vamos nos vacinar: crianças devem tomar duas doses da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola): a primeira com 1 ano de idade e a segunda entre seus 4 e 6 anos de idade. Adolescentes e jovens adultos (até 49 anos) devem tomar a tríplice viral ou a dupla viral (sarampo e rubéola) assim que possível, se houver dúvida quanto a imunização.

X