Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Crescimento pessoal

13/06/2018 09h30

Além dos cinco sentidos

Não só a visão, audição, tato, olfato e paladar que ajudam você a perceber o mundo a sua volta. Conheça outras funções biológicas do corpo que servem para sentir tudo com mais clareza e até prevenir certas doenças.

Por Filipe Marcel

Pxhere
M21

Você sabia que o tato, paladar, olfato, visão e audição podem ser expandidos para outros sentidos?

Você sabia que o tato, paladar, olfato, visão e audição podem ser expandidos para outros sentidos? Tais sentidos permitem que você faça escolhas mais precisas, utilizando funções, ainda, pouco exploradas do corpo. Experimente fechar os olhos agora e encostar o dedo indicador direito no seu umbigo. A sensação de perceber todas as partes do corpo é imediata e é uma capacidade que todos nós temos graças à chamada “percepção”.

O mesmo sentido que nos permite ficar em pé pode trazer também outros ganhos. Através do contato com o equilíbrio, os praticantes de yoga mostram que é possível adquirir benefícios para saúde, mente e espírito. É a partir da movimentação de fluidos presentes no ouvido interno, que balançam de acordo com nossas ações, que essa função biológica conhecida como “propriocepção” tem ajudado milhares de pessoas a identificar e aprimorar sua interação com o ambiente. Por meio da propriocepção, percebemos movimentos que, até então, passariam batidos para os demais. Existem aqueles que investem na “mecanorrecepção”, que é a nossa capacidade motora de dar resposta aos movimentos mais sutis que acontecem no meio ambiente. Quando esse sentido é muito forte, existe uma resposta rápida dos músculos. São aquelas pessoas, ou animais, que sentem um terremoto acontecendo, por exemplo.

É na nossa pele que está o maior número de sentidos adicionais, como terminações nervosas diferentes, que possibilitam expandirmos o tato para a “termocepção”. Podemos usar nossos corpos para sentir mudanças climáticas, sabendo que vai chegar uma frente fria nas próximas horas. Além disso, a pele carrega uma característica de defesa muito importante, já que nos mantém longe de eventuais perigos, como por exemplo: temperaturas muito altas ou frias demais.

Nessa direção, o nosso organismo também oferece a “nocicepção”, que é ativada para alertar sobre dor. Pode ser uma percepção física a partir do toque, como um soco ou uma agulha, e, até mesmo, feridas, como queimaduras ou inflamações. Os responsáveis por detectar tudo isso são sensores espalhados pelo corpo chamados nociceptores.

Agora, o que dizer de sensações como fome, sede e até a passagem do tempo? Alguns estudos classificam o número de sentidos humanos em cinco, 21 e até 33, incluindo capacidades específicas do corpo espalhadas pelos pulmões, que nos permite ampliar e retrair o órgão. Os estudos também incluem interações com o cérebro e a detecção de alterações na espessura das artérias e na quantidade de açúcar no sangue. Mas antes que você se sinta um monge budista ou sadhu indiano, daqueles que são capazes de controlar a passagem de energia pelos chakras e reduzir a quantidade de batimentos do próprio coração, saiba que esses sentidos são muito raros de serem vivenciados por qualquer pessoa. No entanto, eles existem! 

Faz todo sentido

A Programação Neurolinguística afirma que as pessoas interpretam o mundo de acordo com a personalidade e a predominância de uns sentidos sobre os outros. Na teoria da PNL, cada ser humano possui um canal sensitivo para entender o mundo e  se relacionar com outras pessoas. Por exemplo, as pessoas que seguem a audição costumam preferir um “olá, tudo bem?”, enquanto há aquelas que preferem um sorriso ou uma expressão gestual de cortesia, pois utilizam mais o seu canal visual. Por último, aqueles que utilizam um abraço, são considerados mais cinestésicos.

Existem diversas pessoas que se dizem capazes de relacionar sons, cores e cheiros com sabores, como sentir um gosto adocicado na boca ou um aroma de chocolate ao ver a cor marrom, por exemplo. Mesmo ainda sendo tratada como distúrbio por muitos especialistas, a sinestesia é, talvez, o sentido mais curioso de todos, pois quem possui essa característica é capaz de misturar mais de um plano sensorial. É o caso do pintor russo Kandinsky (1866-1944), que misturava quatro sentidos (visão, audição, olfato e tato), cantando os tons de cores que usava na sua paleta, para criar obras extraordinárias.

 

Agora que você conhece mais sentidos, faça um bom uso deles!

X