Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Crescimento pessoal

23/05/2018 09h30

Sabotadores Internos

Você já ouviu falar nisto? Leia o artigo de hoje e descubra se eles podem estar atrapalhando a sua vida

Por Nosso Bem Estar

Pxhere | Pixabay
Mindful power

Os sabotadores internos são inimigos do bem-estar e do nosso humor.

Os sabotadores internos são inimigos do bem-estar e do nosso humor. Eles agem como uma espécie de empecilho para a felicidade, a realização e tudo aquilo que sonhamos em conseguir. Eles são, na verdade, padrões mentais e emocionais que nos levam à autossabotagem. Nós convivemos com eles todos os dias, desde a infância, quando a maioria deles foram criados.

O problema é que esses sabotadores impedem que sejamos livres mental e emocionalmente e muitas vezes são os precursores do desenvolvimento de transtornos como a ansiedade e a depressão.

Ter uma vida interior saudável e atingir o sucesso profissional requer muita paciência e disciplina. Para chegar lá, precisamos lidar com esses sabotadores internos e evitar que eles cresçam ainda mais e dominem a nossa psique.

Quem são os sabotadores?

  • Crítico: esse sabotador sempre encontra defeitos em todos e tudo, principalmente em si mesmo. Dele derivam sabotadores secundários e, é a partir dele, que sentimentos recorrentes como decepção, ansiedade, raiva, arrependimento, culpa e vergonha aparecem. É um padrão que te faz acreditar que você precisa ser punido, pressionado, criticado e cobrado mais do que deveria, caso contrário, nada é capaz de ser feito “direito”.
  • Vítima: quando a vítima toma conta de nossas vidas, tendemos a ter sentimentos de abandono, solidão e melancolia. Além disso, é muito comum criarmos comparações negativas com um padrão temperamental em excesso.
  • Controlador: esse padrão é capaz de criar uma situação terrivelmente estressante, impaciente e ansiosa. Geralmente, as pessoas que sofrem com esse sabotador estão sempre querendo que as coisas saiam do seu próprio jeito.
  • Hipervigilante: aqui é muito comum acreditar que precisa estar em alerta o tempo inteiro, com medo de que algo ruim, perigoso ou errado possa acontecer. Esse sabotador cria um nível absurdo de tensão, recheada de expectativas. É muito difícil relaxar e confiar nas pessoas.
  • Hiper-racional: você conhece alguém com um “coração de gelo”? Quem sofre com esse sabotador está sempre pensando no lado racional das coisas e não entende como as pessoas conseguem se envolver tanto emocionalmente nas questões.
  • Insistente: perfeccionista ao extremo com os outros e com ele mesmo, o insistente é muito crítico e odeia “erros bobos”. Está sempre frustrado por não conseguir fazer as coisas “direito” e decepcionado na maioria das vezes, principalmente quando as coisas não saem do jeito que gostaria.
  • Prestativo: esse padrão leva as pessoas a acreditar que precisam agradar a todos. Não dão valor às suas próprias necessidades e colocam a dos outros em primeiro lugar. Esse padrão é bem conhecido pela sua capacidade de inserir mentiras mentais e emocionais na sua vida, para conseguir ser aceito ou elogiado.
  • Hiper-realizador: mais conhecido como “viciado em trabalho” ou resultados, é um ótimo trabalhador para empresas e estudante. Mas, sua felicidade dura pouco tempo pois as questões emocionais “atrapalham” e atrasam suas realizações.
  • Inquieto: o inquieto não consegue focar em um único objetivo. Ele se dispersa e distrai com facilidade, mas a maioria das suas ações é voltada a querer “fugir da vida” e ignorar toda a ansiedade que sente, incapaz de aproveitar o presente.
  • O Esquivo: esse padrão faz com que você evite brigas e não tome as rédeas da própria vida. “Deixar para depois” normalmente não é a melhor solução, mas o esquivo tenta empurrar com a barriga... até não conseguir mais.

 

Como me livro dos sabotadores?

É claro que lutar contra algo que te controlou a vida inteira é muito difícil e requer bastante disciplina, mas a jornada de cem passos começa com um primeiro, não é mesmo?

Inicialmente, é preciso reconhecer quem é o sabotador que toma conta de você. Sem cobranças, sem medo, apenas utilizando uma análise crítica do que te acontece no dia a dia e como você reage a isso.

Identificado o sabotador, a luta se inicia. Por estar acostumado ao sabotador interno, muitas vezes você pode se sentir obrigado a voltar à sua zona de conforto. Você precisa pensar muito sobre o que você faz e como você faz, reeducando seu próprio comportamento de maneira positiva.

Evidentemente terapia pode ajudar muito neste processo. Se for o caso, procure um bom psicólogo para te ajudar no processo.

Para saber mais sobre o assunto leia o livro Inteligência positiva, de Shirzad Chamine 

X