Bem-vindo ao Nosso Bem Estar!
Para acessar toda positividade de nosso conteúdo, escolha o portal mais próximo a você.

Crescimento pessoal

14/09/2017 06h30

Ahimsá e Satya: éticas para a vida

A atitude interna é o primeiro passo a ser adotado quando se fala em Yoga. Yoga não é ásana e nem meditação sem atitudes internas efetivas e sinceras.

Por Daniel Nodari

Depositphotos | Pixabay
M32 yoga

Atitudes internas para Yoga

Yoga é acima de tudo é um processo de transformação e auto conhecimento que depende basicamente de suas atitudes internas para que a transformação realmente aconteça. As mudanças tem que ser feitas com muita sinceridade. Não adianta nada você enganar a si próprio (e aos outros) e sair dizendo que é um yogin apenas por fazer belos ásanas ou cantar lindamente muitos bhajans quando de fato é incapaz de fazer esse processo de revolução e transformação interna. A atitude interna é portanto o primeiro passo a ser adotado quando se fala em Yoga. Yoga não é ásana e nem meditação sem atitudes internas efetivas e sinceras.

Foi pensando nisso que o sábio Pátañjali, em sua obra Yoga Sútra, definiu algumas condutas para que as pessoas possam conviver em paz consigo e com a realidade que o cerca. Estas condutas foram divididas e nomeadas de yama e niyama. Para Pátañjali, a senda do yoga começa com yama e niyama para depois ir ao ásana (posturas), pránáyáma (controle respiratório), pratyáhára (abstração dos sentidos), dháraná (concentração), dhyána (meditação) e samádhi (iluminação). Esse caminho óctuplo é conhecido com ashtanga yoga.

Yama são prescrições ou normas éticas do ser humano para conviver melhor em sociedade e com as pessoas. Enquanto niyama são prescrições ou normas éticas para que o ser humano conviva melhor consigo mesmo. Os yama e niyama são:

 

“Ahimsá satyásteya brahmácharyáparigrahá yamáh.”

Yamas que consiste em não agressão, veracidade, não roubar, controle sobre os sentidos e não possessividade. Yoga Sútra II:30

 

“Shauca santosha tápah svádhyáyeshvarapranidhánáni niyamáh”.

Niyama que consiste em limpeza, contentamento, autosuperação, auto estudo e autoentrega. Yoga Sútra II: 32

 

Ahimsá - Não agressão

A primeira norma ética definida por Pátañjali Maharishi é ahimsá: não violência. Não violência está presente em vários aspectos do dia a dia do sádhaka. Ahimsá não significa apenas não agredir alguém fisicamente. Agressão verbal, moral, intelectual, preconceito contra pessoas de outras classes sociais e etnias, agressão contra animais e contra a Natureza também são formas de ahimsá.

Ter o conhecimento de toda a crueldade que as indústrias da carne impõem aos animais, em especial bovinos, suínos e aves, e depois consumir as carnes advindas destes processos de matança e carnificina é não compreender a essência de ahimsá. Isso também se enquadra na produção de derivados de laticínios e ovos. Não esqueça disso!!!

Além de todas estas agressões que um indivíduo pode fazer com outros indivíduos ou com outras formas de vida, existe também à agressão contra si. Essa agressão pode ser física ou mental/emocional. A agressão mental/emocional acontece muito quando a pessoa cai em estados depressivos. A depreciação de si, a autopunição, a culpa, a perda de autoestima e, em casos extremos, a tentativa de eliminar a própria vida são as maiores formas de agressão contra a existência.

Ao executarmos ásanas devemos, acima de tudo, respeitar o nosso corpo, saber ouvir e respeitar os limites de cada músculo e articulação. Deve haver um esforço constante sobre si e um processo de auto-superação (tapas) durante a execução do ásana. Auto superação sim, auto agressão, não! Esforce-se sempre, mas nunca vá além dos seus limites naturais.

Lembre-se que qualquer sinal de desconforto é um indicativo fornecido pelo corpo que você está executando um ásana de maneira incorreta.

Ahimsá é um manifesto de amor a qualquer forma de vida, da mais simples a mais complexa. Esse manifesto inclui você, a natureza, todos os seres, as pessoas que você ama e também pessoas que você não ama.

 

Satya - Veracidade

Satya significa verdade, ser verdadeiro. Primeiramente o yogin deve aplicar satya consigo mesmo e depois aplicar satya no dia a dia. Somente vivenciando e compreendendo a essência de satya consigo mesmo é que será possível aplicar satya com as outras pessoas. Quem não é verdadeiro consigo não conseguirá ser sincero com os outros.

Satya, além da verdade, ainda inclui sinceridade e honestidade. Omitir a verdade ou deixar que falsas verdades se propagem, tais como boatos e mentiras, consiste em não estar cooptando com satya. Seja sempre sincero, honesto e verdadeiro consigo mesmo que satya surgirá como uma das consequências desta sinceridade.

Aplicando satya não significa que você seja obrigado a falar tudo que estiver a sua mente, isso às vezes pode ferir os sentimentos das outras pessoas. Existem muitas formas de falar a mesma verdade, seja delicado e pense em palavras certas antes de simplesmente sair falando.

Om Namah Shivaya

 

Daniel Nodari (Mahadeva) é professor de Yoga e músico

X